0

Pesquisadores da Icahn School of Medicine do Monte Sinai, descobriram que pessoas com Transtorno de Depressão Maior demonstraram uma significativa melhora após serem tratados com ezogabina, um medicamento usado para tratar depressão. Após o início do tratamento, pacientes mostraram uma redução de cerca de 45% na depressão, redução na anedonia que é incapacidade de sentir prazer e aumento significativo na resiliência.

Estrutura molecular da Ezogabina

Esse é um dos primeiros estudos realizados que sugere que a ezogabina, parte de uma classe de drogas chamadas como abridores de canal de potássio, podem ter um efeito antidepressivo em humanos.

O Transtorno de Depressão Maior afeta milhões de pessoas em todo o mundo e é a principal causa de incapacidade, no entanto, os tratamentos possuem eficácia limitada.

A maioria dos antidepressivos funciona aumentando o nível de serotonina, a pesquisa do Icahn School of Medicine, comandada por Dr. James Murrough, sugere um alvo molecular diferente que funciona através de outros mecanismos cerebrais e podem ser úteis para os pacientes. O Dr. James Murrough, diz o seguinte “nós sabemos que pacientes com depressão se tornam depressivos por diferentes razões, e estamos presos com um tratamento para todo tipo de depressão faz bastante tempo”.

Péssimos motoristas e baixo custo com acidentes de trânsito fará a China ganhar com carros autônomos

Previous article

Nova supressão viral do HIV após 24 semanas após uso de Fostemsavir

Next article

You may also like

Comments

Deixe uma resposta

More in Ciência