0

Artigo atualizado pela última vez em: by

Tá pensando em sair do país? Eu também… Por isso decidi fazer uma compilação dos países em que a imigração é facilitada e com menos burocracia ou países em que há incentivo à imigração.

Portugal

Portugal é um país não só rico em capital, mas também rico em história. Desde a sua fundação, no ano 868 d.C., o país exerce grande influência em diversas culturas ao redor do mundo. Foram os colonizadores do Brasil, por isso compartilhamos diversas similaridades com os portugueses. O IDH, Índice de Desenvolvimento Humano, de Portugal é o 41º, sendo classificado como muito elevado. Sua população é menor do que a do estado de São Paulo, contando com apenas 10 milhões de habitantes.

Apesar do país ser fácil para emigrar, é preciso ter cuidado e seguir direito os procedimentos. A taxa de brasileiros barrados é de cerca de 6, por dia. Os brasileiros representam 74% dos 2.200 estrangeiros recusados ainda no aeroporto no ano de 2018, um aumento que já superou todo o ano de 2017. Nos aeroportos, as principais causas para a recusa de estrangeiros são a ausência de visto válido ou adequado, bem como a incapacidade de provar condições de estadia no país, ou seja, quando os passageiros não apresentam reservas de hotéis ou não possuem dinheiro suficiente (são requeridos, no mínimo, 40 euros por dia, cerca de R$177/dia).

Entretanto, apesar do número alto de brasileiros barrados ainda no aeroporto, Portugal é um destino fácil de imigrar. Por exemplo, Portugal dá visto para quem compra casa ou é aposentado. O visto de aposentado, por exemplo, é permitido para quem vive de rendimento e têm renda suficiente para viver em Portugal ao menos uma ano. Há também o Golden Visa, visto para quem investir em Portugal. Esse visto é um pouco mais complicado e requer: aquisição de imóveis no valor igual ou superior a 500 mil euros, aquisição de imóvel construido há, pelo menos, 30 anos ou localização em área de rehabilitação urbana, no valor igual ou superior a 350 mil euros, transferência de capitais no montante igual ou superior a 1 milhão de euros, constituição de empresa unipessoal por cotas que crie, no mínimo, dez postos de trabalho, transferência de capitais no montante igual ou superior a 350 mil euros aplicados em atividades de investigação científica, transferência de capitais em montante igual ou superior a 250 mil euros, aplicados em investimento ou apoio à produção artística e/ou transferência de capitais no montante igual ou superior a 500 mil euros para a capitalização de pequenas e médias empresas.

Há também o visto de empreendedor, para os estrangeiros que pretendem efetuar uma operação de investimento em Portugal, como abrir ou comprar uma empresa. O visto de trabalho que permite qualquer brasileiro que seja contratado por uma empresa portuguesa de morar em Portugal e há também o visto de estudo, permitindo qualquer brasileiro que queira fazer intercâmbio de estudo durante a graduação ou cursar mestrado, douturado ou pós-doutrado em Portugal.

Alemanha

A Alemanha pode ter (ou não, dependendo do contexto histórico) sofrido muito durante a Segunda Guerra Mundial, mas hoje é um dos melhores países para se viver no mundo. Figurando em quinto lugar na posição do IDH (quanto maior o número, melhor) e com 82 milhões de habitantes, a Alemanha é um ótimo país para imigrar.

Além disso, uma recente lei foi aprovada (em 2 de outubro de 2018) para atrair imigrantes qualificados para o país. Além dos vistos temporários de seis meses para procurar empregos, foram prometidos procedimentos mais rápidos para o reconhecimento das qualificações. A Confederação Alemã das Câmaras de Indústria e Comércio afirmou que há 1,6 milhão de postos de trabalho não ocupados no país.

Para entrar na Alemanha, diferentemente de Portugal, é necessário visto. É possível obter um visto em uma embaixada alemã no Brasil. Além disso, para se obter o visto é necessário ser alemão, ser cidadão da União Européia, ser norueguês, suíço, islândes, irlandês, britânico, ter visto de membro de família pertecente à União Européia, ter visto de trabalho ou ter visto de estudante.

Uma boa dica é: antes de pensar em ir para a Alemanha, faça um bom curso de alemão, pratique, converse com pessoas que moram por lá e procure obter o máximo de certificação possível em sua área.

[sociallocker id=”1203″]

Espanha

Há diversas formas possíveis de morar na Espanha e, aparentemente, o processo é bem parecido com Portugal. Há a possibilidade de estudar na Espanha, fazendo um MBA, mestrado ou um doutorado ou até mesmo uma graduação normal. As universidades espanholas são preparadas para receber estudantes internacionais e a adaptação à língua é muito tranquila. O pedido do visto pode ser feito em um dos cinco consulados da Espanha no Brasil: Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre ou Salvador. É possível fazer também a solicitação na própria Espanha, onde se é possível ficar por 90 dias sem visto, desde que tenha seguro saúde.

Outra forma de conseguir morar na Espanha é através de um visto de trabalho, mas para isso é preciso enviar o currículo ainda no Brasil, ser selecionado para a vaga e então entrar com o pedido de visto no consulado.

É possível também abrir uma empresa como autônomo ou uma sociedade mercantil. Também há a opção de viver como aposentado na Espanha ou caso você já tenha cidadania de qualquer outro país da União Européia.

Estados Unidos

A terra da cidade que nunca dorme e de um dos maiores polos tecnológicos do mundo. Os Estados Unidos é o destino certo para quem pensa em seguir na carreira da tecnologia. Há várias formas de se morar nos Estados Unidos.

Para quem quer morar por um curto período de tempo, é possível ficar até seis meses com o visto de turismo. No entanto, nesse prazo você não pode trabalhar legalmente, ou seja, exceto se você for um profissional autônomo e que trabalha com clientes internacionais, exercer qualquer trabalho remunerado nos Estados Unidos com o visto de turismo é ilegal.

Eles também possuem o modelo Au Pair, válido para meninas, solteiras e sem filhos. Nessa forma você se torna babá dos filhos de alguma família, reside na casa deles, tem um quarto próprio, recebe alimentação e um salário. É preciso também fazer um curso de idiomas.

Para quem quer estudar, é bem fácil. O visto de estudante não permite trabalho integral, só em estágio em áreas relacionadas ao seu curso. Dependendo do seu desempenho tanto no trabalho quanto na graduação, é bem provável que a empresa que você estagia patrocine seu visto de trabalho.

Há também o visto de trabalho que pode ser dividido em vários. O trabalho técnico é quando uma empresa não conseguiu encontrar ninguém nos EUA que consiga exercer a função, o visto tem prazo limitado. Há também trabalho por transferência, isso é muito bom para quem já trabalha em multinacionais como Accenture, IBM ou Google.

Os Estados Unidos ainda oferecem visto para investidores que investirem mais de 500 mil dólares em empresas, abrindo empresa e contratando um número mínimo de funcionários. A outra é opção é se casar com um cidadão americano, mas não é garantido e o processo é longo e burocrático, principalmente por conta das fraudes.

Canadá

Ao lado dos Estados Unidos, temos uma outra excelente economia e um dos países com a melhor qualidade de vida: o Canadá.

O Canadá possui diversos tipos de visto, assim como nos Estados Unidos. O visto de turismo é válido por seis meses para entrada única ou três anos para entradas múltiplas e você pode utiliza-lo para fazer uma visita ao país ou fazer um curso rápido de inglês ou francês, por exemplo. Mas não pode ser usado para trabalho.

O visto de estudo é ideal para quem vai ficar no país por mais de seis meses. Na maioria dos casos, além da documentação regulamentar é exigido também uma consulta com um médico indicado pelo próprio consulado do Canadá. Muito útil para quem pretende fazer uma graduação ou uma pós-graduação no país.

Há também o visto de trabalho, no entanto, nem todas as profissões exigem um visto. Há outros vistos também, como o visto para visita à negócios, visto para profissionais autônomos e que são permitidos apenas para: pessoas com experiência em atividades culturais, esportivas ou pessoas com experiência em alguma área de administração na área agrícola. Há também o visto para empreendedor, para aqueles que pretendem abrir uma startup no país, o visto para pais ou avós de residentes permanentes, entre outras formas de vistos para investidores, entre outros.

Hong Kong

Hong Kong é considerado o “paraíso” para estrangeiros. A cidade é uma das mais seguras do mundo, o transporte público é eficiente, itens são baratos de adquirir, já que Hong Kong faz parte da China. O imposto da cidade também é um do menores, fica entre 2% e 17% dependendo do salário.

Há diversos tipos de visto para quem pretende morar em Hong Kong. O visto de turista é válido entre 7 e 180 dias, dependendo da nacionalidade do solicitante. Assim como nos outros países, não é permitido trabalhar com o visto de turismo. Há também o visto de estudante, e diferentemente de outros países, não é necessário que você faça o trâmite, a própria instituição credenciada irá fazer por você, as exigências variam de acordo com a instituição de ensino e do que você for estudar.

O visto de trabalho, é um dos tipos de vistos mais populares da cidade. Para obter tal visto é necessário que uma empresa entre em contato com o Departamento de Imigração de Hong Kong, para iniciar os trâmites legais. É possível chegar com um visto de turismo e conseguir um trabalho, mas não é tão simples assim. É preciso que você tenha um certo grau de especialização e a sua mão de obra seja altamente especializada.

Há o visto de dependente concedido para o cônjuge e/ou filhos menores de 18 anos de alguém com visto de trabalho ou negócios. O visto de negócios, inclusive, não é um dos vistos mais fáceis de se obter, são muitos documentos, planos de negócios e uma grande quantia de dinheiro.

Por fim, assim nos Estados Unidos há um visto para babás, em Hong Kong há um visto especial para empregados domésticos. Esse visto é ligado à uma família que precisa garantir alimentação e moradia para a doméstica, além de outros direitos.

Singapura

Para visitar Singapura não é preciso ter visto, mas há uma série de requisitos. É preciso ter passaporte com válidade mínima de seis meses, comprovante de renda suficiente para o período de estadia, passagens de ida e volta, cartão de embarque ou desembarque preenchidos e ter tomado vacina contra a febre amarela. É possível ficar até 30 dias no país, podendo solicitar uma extensão da visita ou uma autorização de estudo ou residência.

As autoridades de Singapura dividem os vistos de trabalho de acordo com o salário base pago aos funcionários. Para quem ganha S$2.500 ou menos, o visto é chamado Work Permit, para quem ganha entre S$2.000 e S$3.000, o visto é chamado de S Pass e para os que ganham mais de S$3.000, o nome dado é Employment Pass. Há também outros tipos de vistos como os destinados à profissionais com tarefas específicas no país, como congressos, palestras, jornalistas e trabalhadores religiosos, essa permissão só é válida por 60 dias.

A educação de Singapura é uma das melhores do mundo, para conseguir o visto de estudante, o aluno deverá dar entrada no Student Pass, essa permissão é necessária caso o curso ultrapasse os 30 dias permitidos para visitantes. Os requisitos variam de acordo com o tipo de instituição de ensino do país, se é uma escola privada, pública, curso de idiomas, etc. Caso a instituição de interesse seja uma universidade ou instituto politécnico, o estrangeiro deve dar entrada no processo de visto pelo menos dois meses antes de começarem as aulas.

O custo de vida em Singapura é extremamente caro. O aluguel por exemplo, chega a ser cinco vezes mais caro do que no Brasil. Um apartamento com dormitório no centro da cidade, chega a custar S$4.000. O transporte chega a custa S$90 por mês.

Chile

Por ser um país integrante do Mercosul, morar no Chile é algo relativamente fácil, por exemplo, é possível tirar a permissão de residência por pelo menos um ano de forma bem mais fácil do que em outros países, inclusive em todos os outros citados acima (mas um pouco mais complicada do que no país abaixo).

O visitante brasileiro pode ficar por até três meses no Chile, caso ele queira morar no país, e não seja casado, nem tenha parentes chilenos, é possível solicitar um visto temporário em uma das seguintes categorias:

  • Estudo: válido por um ano ou até o término do curso, sem autorização para trabalho, exceto em casos de necessidade de estágio.
  • Trabalho: para profissionais contratados por empresas do Chile. Ele tem validade de dois anos e é vinculado à empregadora. Quando o contrato de trabalho acaba, é preciso retornar ao país de origem… ou encontrar outra empresa para trabalhar.
  • Residência Temporária: o estrangeiro pode solicitar residência temporária por até um ano com opção de prorrogar pelo mesmo período. O imigrante somente pode trabalhar se solicitar também uma permissão de trabalho, que o permite conseguir trabalho em qualquer empresa até regularizar seu visto. A permissão de trabalho poderá chegar até mesmo antes da autorização de residência.

Argentina

Para tirar o visto de residência na Argentina, independente de qual for o seu motivo de residência, você deve primeiro procurar o consulado mais próximo de você. Mas também é possível tirar um documento, estando na Argentina, que facilitará muito sua vida.

Primeiro, deixa eu falar o que é preciso para tirar qualquer que seja o visto. Você precisa levar:

  • Passaporte original com validade mínima de 2 anos;
  • 2 cópias autenticadas das três primeiras páginas do passaporte;
  • Certidão de nascimento original ou atualizada;
  • 2 cópias autenticadas da certidão de nascimento;
  • Certidão de casamento original ou atualizada, uma via para cada cônjuge, sendo necessária ainda a apresentação da certidão de nascimento;
  • 2 cópias autenticadas da certidão de casamento;
  • 2 cópias autenticdas do documento de identidade (RG);
  • 2 vias do certificado de antecedentes penais emitido pela Polícia Federal Brasileira com firma reconhecida em cartório ou com validação da internet quando solicitado pelo site;
  • 4 fotos 4×4, de frente, sem data, sem óculos, 1/2 busto, fundo branco e colorida.

Após obter todos esses documentos, você precisa que o Ministério das Relações Exteriores legalize-os, há escritórios do MRE em diversas cidades do país. Em seguida será marcada uma entrevista com o Consulado Geral da Argentina, para obter o visto e, por fim, após todo o processo ter sido concluído, é só esperar para obter o visto que sai no mesmo dia, direto do consulado.

Achou o processo acima complicado? Pois saiba que fazer todo esse processo enquanto você está na Argentina é mais rápido e até mesmo mais barato. Ou melhor, é mais rápido com ressalvas. Você precisa fazer o agendamento com antecedência.

Todo o processo de agendamento e de preenchimento dos dados é feito de forma online. No dia marcado, você precisa levar os seguintes documentos:

  • RG com CPF;
  • Certidão de Nascimento;
  • Emancipação, se for menor de 16 anos;
  • Comprovante de Residência;
  • Antecedentes Penais Argentinos;
  • Antecedentes Penais Brasileiros;
  • 4 fotos 4×4;
  • 1 cópia simples de todos os documentos anteriores.

O comprovante de residência não é o brasileiro. É o comprovante da sua residência local na Argentina, pode ser imóvel alugado. Para obter esse comprovante é preciso ir até uma delegacia de polícia e solicitar o serviço pagando apenas 10 pesos. Lembrando que é necessário que você esteja em sua residência para que o comprovante seja entregue, tendo em vista que eles só entregam para você ou para alguém que esteja com uma cópia do seu documento de identificação em mãos.

Os antecedentes penais argentinos podem ser obtidos pela internet, basta escolher um local, agendar um horário e comparecer na sede escolhida. É necessário o pagamento de uma taxa, dependendo de quão rápido você quer que o serviço seja entregue. Se o trâmite é muito urgente, você receberá o documento em 6 horas e pagará 300 pesos argentinos, se for trâmite urgente pagará 180 pesos e receberá em até 24 horas e pagando 70 pesos argentinos, para o trâmite comum, você recebe o documento em até 5 dias úteis.

Assim que você tem tudo isso em mãos e solicita e obtém seu DNI, Documento Nacional de Identidade, você receberá a precária, uma espécie de documento provisório que servirá como a DNI até que ela seja entregue em sua residência (mediante pagamento de uma taxa de 60 pesos) ou em até 90 dias para retirada no local solicitado.

Sendo bem honesto: vivi na Argentina por um curto período de tempo (menos de três meses), mas foi uma experiência única. Apesar do país ser deficiente em vários aspectos, é praticamente um Brasil melhorado.

Estônia

Coloquei a Estônia por último, pois eles tem uma espécie de cidadania diferente. É como o Diário de Notícias, jornal português, falou: “como morar na Estônia, sem morar na Estônia”.

O parlamento da Estônia aprovou em 2014 uma lei que permitiu que estrangeiros pudessem comprar uma identificação digital da Estônia. Sim, isso significa que você pode literalmente comprar seu “RG” estoniense. Os que adquirirem o serviço poderão usar serviços estatais online, registrar e gerir uma empresa, usar os serviços bancários e assinar documentos. Em 2014, esse documento custava 50 euros, mas aparentemente o valor subiu para 100 euros em 2018. Só há um problema para os brasileiros: a Estônia fechou seu consulado aqui e, por isso, não é possível retirar o documento aqui no Brasil, você precisa viajar para outro país como Portugal, por exemplo.

A vantagem dessa cidadania digital é que permite que você possa usar inúmeros serviços voltados apenas para europeus como Stripe e bancos que possuem taxa praticamente zero, mas não permite que você vá para a Estônia e more lá. É voltada apenas para serviços.

[/sociallocker]

O que difere um eleitor de Bolsonaro e de Haddad?

Previous article

Guia do Leitores de Livros Digitais (E-Readers)

Next article

You may also like

Comments

Deixe uma resposta